Valdevan Noventa (PSC/SE) sobre a duplicação da BR-101: “Espero que essas queixas não continuem a ser ignoradas”

Publicado: sexta-feira , 31 de maio 2019 8:53

 

O deputado federal Valdevan Noventa (PSC-SE) voltou a cobrar urgência nas obras de duplicação da BR-101, trecho Sergipe. O deputado esteve na última quarta-feira, 29, em audiência com o ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, juntamente com a bancada federal sergipana. Para ele, já se fala em duplicação da BR-101 no estado há um quarto de século.

Após os reclames da bancada federal, o ministro afirmou que deve reforçar o orçamento para concluir essas obras em Sergipe até 2020, principalmente, na parte norte da rodovia. São 77 Km de Propriá ao Povoado Pedra Branca, em Laranjeiras.

A BR-101 se estende por 4.650 quilômetros, dos quais 206 estão localizados no estado de Sergipe. Da extensão total da rodovia, a fração sobre solo sergipano corresponde a menos de 5%. “É um pedaço bem pequeno, o que se explica pelo fato de que Sergipe é o menor estado da federação em área territorial”, explicou Valdevan.

“Seria de esperar que um trecho tão curto da rodovia não levasse muito tempo para ser duplicado. Era essa a suposição que todos fazíamos, quando pela primeira vez foi anunciada a duplicação da BR-101 em Sergipe. Estávamos redondamente enganados”, disse Valdevan ao completar que “em 1994, o trecho a ser duplicado era de apenas catorze quilômetros, desde o povoado Pedra Branca, em Laranjeiras, até os arredores de Aracaju. Mesmo esse lote minúsculo levou dez anos para ficar pronto”.

Segundo Valdevan, as obras na parte sul do estado – isto é, entre a capital Aracaju e a divisa com a Bahia – até que avançaram. Mesmo assim, o tráfego em pista dupla vai só até Estância; a partir daí, e até Cristinápolis, na fronteira, o tráfego continua sendo em pista simples. O deputado afirma que, se na parte sul as obras “avançaram” na parte norte a situação é deplorável.

“É vergonhoso, em vários sentidos. Eu poderia destacar o papel econômico da BR-101 e sua importância para o abastecimento de várias cidades da região, ou para o turismo local. Eu poderia, igualmente, abstrair a questão da importância da BR-101 e exigir, simplesmente, que algo em que já foi investido tanto dinheiro público seja, afinal, entregue aos cidadãos”, lembra Valdevan ao completar que já os trabalhos de duplicação no estado já consumiram quase R$ 700 milhões, e mesmo assim seriam necessários pelo menos mais R$ 350 milhões.

“Eu espero que essas queixas não continuem a ser ignoradas. Que o governo federal ouça o pedido dos representantes do povo de Sergipe. Não é admissível que se demore tanto para concluir uma obra tão importante”, concluiu Noventa.

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC