PSC registra queixa-crime contra mentiras de estudante

Publicado: sábado , 10 de setembro 2016 15:44

“O Partido Social Cristão foi vítima de crimes de difamação e denunciação caluniosa!” A declaração é do vice-presidente nacional do PSC, ex-senador Marcondes Gadelha, a propósito das declarações proferidas pela estudante Patrícia Lélis na imprensa. Ele coordenou a Comissão Interna que encaminhou registro de queixa-crime, recebida na 1a. DP do Distrito Federal, por insinuações de que o PSC teria oferecido dinheiro em troca de silêncio.

Em entrevista à imprensa, Gadelha explicou que a denunciante, em reunião informal com membros da Executiva Nacional, apresentou “uma história sem consistência, confusa, tortuosa e totalmente descomprometida com a verdade”. Ele disse que, após ouvirem pacientemente o relato da jovem, a orientaram a buscar a Justiça, visto que a Executiva é uma instância apenas política.
“Não tomamos nenhuma medida em defesa dela, pois seu relato não nos convenceu, naquela ocasião”, observou Gadelha. Ele ressaltou ainda que a única coisa que existe contra o partido é a palavra da acusadora, a qual tem uma vida pregressa marcada por um acervo extenso de mentiras, entre elas, a de que é militante do partido e líder do PSC Jovem no Distrito Federal, sem que nunca tenha seu registro formal. “Ela nunca foi filiada. Preencheu a ficha, mas não informou seu título de eleitor, documento essencial para efetivação da filiação”, informou.
De acordo com Marcondes Gadelha, o partido tem obrigação de procurar a Justiça. Ele afirma que o compromisso do PSC é com seus princípios e seus propósitos e por isso vai tomar as medidas necessárias para prevalecer a verdade. “Temos o dever legal de procurar a Justiça porque, afinal de contas, fomos acusados e vamos até as últimas consequências para que esses fatos sejam apurados.”

Ascom PSC Nacional

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC