PSC Mulher dá posse à nova coordenação e lança pré-candidatas às eleições

Publicado: terça-feira , 05 de julho 2016 18:09

Mais de 200 mulheres lotaram a Câmara Municipal de Vila Velha (ES) em evento realizado pelo PSC Mulher, realizado no último dia 25 de junho, para dar posse à nova coordenação do movimento de mulheres do partido no Estado e lançar pré-candidatas às eleições municipais deste ano. Presidentes municipais do PSC de várias partes do Espírito Santo, vereadoras e deputadas de outros partidos também estavam presentes.

A presidente nacional do PSC Mulher, Denise Assumpção, chamou a atenção das mulheres para o que de fato é política e as convocou para encabeçarem a representatividade feminina em seus municípios.

“Política não é para você enriquecer, para você ficar bonito, arrumar um emprego para o filho da sua amiga nem para o seu sobrinho, política não é a vaga da faculdade para o filho da vizinha, nem para você mudar o seu salão de lugar sem pagar aluguel. Política é o bem do outro, simples assim. Se todos tivermos essa consciência, todos vão amar a política. Por que, então, você não participa? Você não precisa de transporte público decente? Ninguém aqui fica doente? Mulher aqui não ganha bebê? Criança aqui não estuda? Pois educação, saúde, segurança, tudo é resolvido na política”, enfatizou.

Presidente Estadual do PSC no Espírito Santo, o ex-deputado Reginaldo Almeida falou da importância do movimento de mulheres por todo o país e ressaltou que o crescimento do partido no Estado terá como pontapé inicial a representação feminina.

“Voltamos, com muita vontade de fazer o nosso partido funcionar, não só na véspera da eleição, por isso esse evento aqui hoje. Nós temos uma meta de, se possível, triplicar o número de filiados ao PSC aqui no Espírito Santo, e queremos começar muito forte pelas mulheres”, afirmou o presidente.

Mulheres guerreiras 

Ex-prefeita e coordenadora do PSC Mulher da região norte do Espírito Santo, Joana Rangel arrancou aplausos das pré-candidatas presentes, que, assim como ela, enfrentam, ainda, muita dificuldade para serem reconhecidas na política. Em seu município, Joana teve que lutar contra os poderosos para se candidatar. E mostrou, através de muita garra e determinação, que na política não vencem apenas os que têm recursos financeiros, mas principalmente quem tem força para mudar.
“O PSC tem a minha cara, a cara da verdade, a cara do amor, a cara de que Deus tem que estar na frente das coisas. Quando eu me tornei prefeita da minha cidade, não me filiei porque eu tinha um dinheirinho para a campanha, porque eu não tinha nada! Eu fui contra um grande gigante que tinha na cidade, pessoas empoderadas, com muito dinheiro. Não tinha a mínima condição de homem nenhum derrubar aquele cidadão. Mas a vida política não é para me enriquecer e nem para me fazer sentar em uma poltrona confortável, é para que eu mude a história das pessoas. E foi isso que eu fiz: mesmo sem apoio de ninguém, me candidatei e ganhei”, contou Joana, emocionada.

Cristãs engajadas

Para a coordenadora da região metropolitana do PSC em Belo Horizonte, Lia Rachid, é necessário que as mulheres cristãs tenham mais representatividade no Congresso Nacional. Segundo ela, propostas como a legalização do aborto e das drogas precisam da luta de parlamentares cristãs para não serem aprovadas.
“Nós precisamos entender que esse espaço é para todas nós. Todas vocês que estão aqui são merecedoras de estarem em um espaço público. E é importante que a mulher se conscientize do seu papel. Nós tivemos, de 2010 para 2014, um aumento de 13,33 % da porcentagem de deputadas federais. Mas percebemos que muitas mulheres que chegam lá não representam a grande maioria das mulheres cristãs”, alertou.

“A política é para as mulheres”

Admirada por todas as presentes pelo trabalho feito no Estado, a professora Rosane, presidente do PSC Mulher do Espírito Santo empossada no evento, convocou mais mulheres para participarem de sua luta. “Vamos lutar pelo nosso partido, vamos colocar mulheres aqui nessa Casa, vereadoras, prefeitas, deputadas estaduais e federais. A política hoje é para as mulheres, por isso precisamos lutar juntas”, disse a presidente.

Mulheres vencedoras

“Nós somos muito competentes, somos mães, esposas, filhas, professoras… Não somos muito valorizadas no que fazemos, mas somos competentes. O Estado do Espírito Santo, por exemplo, possui 11 superintendências de educação, todas as 11 são regidas por mulheres”. Professora Lenita, superintendente regional de Vila Velha

“Eu quero fazer parte da política porque por mais que eu não tenha interesse em ser uma vereadora, uma prefeita, eu sei que eu tenho em mim uma força interior de poder mudar a comunidade em que eu vivo”. Juliana Rodrigues, coordenadora de comunicação do PSC Mulher do ES

Priscilla Torres
ASCOM PSC Nacional

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC