Mulheres do PSC se mobilizam pela aprovação da PEC 134/15

Publicado: quinta-feira , 17 de agosto 2017 11:21

Foto: Fernando Chaves

A PEC 134/15 que reserva 10% das cadeiras do Legislativo federal, estadual e municipal para as mulheres foi pauta da reunião do PSC Mulher em Brasília, nesta quarta-feira (08).

A presidente nacional do movimento, Denise Assumpção, falou da ineficiência da Lei 12.034/09, que definiu o mínimo de 30% e o máximo de 70% de candidatos de cada sexo em eleições proporcionais. Para a presidente, com essa lei, as mulheres concorrem apenas para preencher as vagas e não por real interesse em participar do pleito.

No entanto, ela defende a PEC 134, por colocar o foco no número de cadeiras e não no de candidatas. “Sou a favor da proposta e vamos nos mobilizar para conscientizar os parlamentares da importância dela na equalização da representação por sexo no Legislativo. Na verdade, queremos essa igualdade em todos os Poderes da República”, afirmou a presidente nacional do PSC Mulher.

Recém chegada ao PSC, Selma Cabral disse que não discute a questão de cotas. Para ela, o ideal é fortalecer as mulheres dentro dos partidos, dar voz a elas e inseri-las no processo político. “Não gosto da ideia de ter cotas, mas entendo a importância da PEC 134 para conseguirmos diminuir essa desigualdade tão gritante”, opinou Selma.

Maria Delurdes, presidente do PSC Mulher no Rio Grande do Sul, afirma que não sente orgulho de precisar de cotas para aumentar a representação feminina. “Não faço política por conveniência, mas por convicção. Gostaria que todas as candidatas tivessem esse mesmo sentimento.”

Maria afirmou ainda que entende a importância da PEC nesse momento, principalmente se for levado em

consideração o contexto histórico: “Quando eu comecei na política, há 35 anos, mulher nem participava das reuniões. Quando entrava em uma, não tinha direito à voz.”

As representantes do PSC Mulher de Minas Gerais, Rita Del Bianco, Jaqueline Miranda e Kátia Dias, pediram espaço para relatar o apoio que elas receberam no estado do deputado Noraldino Júnior, presidente do PSC em Minas Gerais. “O deputado colocou duas mulheres na coordenação do núcleo político para as eleições. Nós escolheremos a chapa regional que concorrerá em 2018. Foi uma grande honra!”, afirmou Rita.

A PEC 134/2015 é de autoria da Comissão de Reforma Política do Senado (PEC 98/15). Aprovada naquela Casa,

Foto: Fernando Chaves

seguiu para apreciação da Câmara dos Deputados em dois turnos. A expectativa era que o presidente Rodrigo Maia colocasse a matéria na pauta desta semana, o que ainda não ocorreu.

As mulheres do PSC traçaram um plano de mobilização nas redes sociais, para pedir aos deputados de cada estado que votem a favor da propostas. Elas também prometeram lotar as galerias do Plenário no dia da votação.

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC