Pedro Chaves avalia quinto dia de julgamento de Dilma Rousseff

Publicado: terça-feira , 30 de agosto 2016 20:33
pedrochavesimpeachment

ASCOM Sen. Pedro Chaves

O senador Pedro Chaves (PSC-MS) avaliou como ‘muito ricas’ as intervenções, tanto da acusação quanto da defesa no segundo dia de julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff no Senado Federal.“Na acusação, a advogada Janaína Paschoal colocou, de forma muito clara, que houve realmente crime, tanto nas pedaladas como nos créditos subsidiados, em que Dilma Rousseff não poderia assinar, mas, contrariando a Lei de Responsabilidade Fiscal, assinou no lugar do Congresso, cometendo crime. Por outro lado, o advogado de defesa José Eduardo Cardozo tentou sensibilizar os senadores por meio de um discurso emotivo, dizendo que Dilma, aos 19 anos, tinha sofrido tortura, que resistiu e que hoje, novamente, resistiria ao impeachment”,destacou Pedro Chaves.

Ao avaliar que, em termos de fatos concretos José Eduardo Cardozo foi vazio em seu discurso, Pedro Chaves elogiou o trabalho da advogada Janaína Pascoal e do jurista Miguel Reale Júnior.

Ao avaliar que, em termos de fatos concretos José Eduardo Cardozo foi vazio em seu discurso, Pedro Chaves elogiou o trabalho da advogada Janaína Pascoal e do jurista Miguel Reale Júnior, que afirmou que o país está prestes a mudar de mentalidade a partir desse processo, nascido nas ruas e do desejo da sociedade por um Brasil sério.“Ele elencou problemas graves como a recessão, a alta da inflação, o desemprego, a queda de investimentos, enfim, defendendo a necessidade de um choque de gestão. E o Temer é a pessoa indicada pra isso”, afirmou o senador. Pedro Chaves acredita que a votação aberta, esperada para amanhã, quarta-feira (31), vai garantir a aprovação do impeachment e o afastamento definitivo de Dilma Rousseff da Presidência da República.

ASCOM Sen. Pedro Chaves

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC