Silas Malafaia e Ratinho Jr. se unem para eleger prefeito


União em torno de Ratinho Junior pode fazer diferença na eleição em Curitiba

Portal Gospel Prime

Segundo dados do IBGE, em Curitiba os evangélicos pentecostais representam 16% da população. Os outros segmentos evangélicos adicionam mais 8% à conta. Sendo assim, no total, eles representam cerca de um quarto do eleitorado da capital paranaense, aproximadamente 424 mil moradores.

Ao longo das últimas semanas, os candidatos Luciano Ducci (PSB) e Ratinho Júnior (PSC) disputaram o apoio do pastor Silas Malafaia, conhecido por seus programas de televisão. Ratinho conseguiu assegurar que Malafaia estará ao seu lado. O resultado dessa “briga”, que acontece em quase todo o país na busca de alianças com lideranças religiosas, é o valioso voto dos evangélicos.

Segundo a pesquisa mais recente do Datafolha realizada em Curitiba, entre os pentecostais, Ratinho tem 41% das intenções de voto, contra 27% de Ducci e 10% de Fruet. Entre os evangélicos não pentecostais, os índices são, respectivamente, 41%, 24% e 19%. Ou seja, o candidato do PSC conquistou mais eleitores que seus dois principais adversários somados.

Ducci, por sua vez, tem o apoio de políticos ligados ao segmento evangélico, como o vereador Pastor Valdemir Soares (PRB), da IURD, a deputada estadual Cantora Mara Lima (PSDB) e o deputado federal Fernando Francischini (PEN), pertencentes à Assembleia de Deus.

Ratinho tem ainda a vantagem de uma rejeição menor entre os evangélicos (13%) em comparação com Ducci (21%). Entre os outros evangélicos, a rejeição é 17% contra 31%. Por isso, o apoio de Malafaia poderia indicar uma mudança nesse quadro adverso para o futuro prefeito.

Em visita a Curitiba, nesta segunda-feira, Malafaia foi entrevistado pelo jornal Gazeta do Povo e confirmou apoio ao candidato Ratinho Júnior. Isso contraria a declaração do deputado Fernando Francischini que declarou, na semana passada, que Malafaia viria a Curitiba para participar de um culto na igreja da Assembleia de Deus Vitória em Cristo do Boqueirão, e poderia declarar seu apoio a Ducci.

Malafaia foi enfático: “Eu já disse, a imprensa noticiou, eu apoio o Ratinho e está acabado. Isso [o apoio ao prefeito] é ilação, é blablablá. Se o prefeito vier à minha igreja, vai passar vergonha, porque eu vou dizer na cara dele que meu apoio é do Ratinho.” Acrescentou que seu relacionamento que com o pai do candidato, o apresentador Ratinho, colaborou para seu apoio. Cogitou ainda aparecer em breve no programa eleitoral do candidato do PSC: “Já falei com o Ratinho: a hora que ele precisar, eu gravo. A última vez que estive em Curitiba, ele estava no culto comigo, e eu disse isso pra ele”.

Francischini limitou-se a dizer que não garantiu o apoio de Malafaia, apenas o convidou para um jantar de apoio, mas que vem trabalhando para trazer outras lideranças evangélicas para apoiar Ducci e que tem conseguido reduzir a vantagem que Ratinho tem nesse segmento.

+Arquivos